domingo, 15 de maio de 2016

Da Ressurreição e Glorificação - Capítulo XIX

Capítulo XIX

   
 Das Promessas Divinas Pertinentes a Vida Futura ou da Ressurreição dos Mortos e Vida Eterna.

1. Os atos divinos pertinentes a vida futura são a Ressurreição da morte(a) (ou neste lugar uma súbita transformação da nossa natureza mortal) e Glorificação, ou  concessão(b) de glória celeste e vida eterna, conforme os dois últimos artigos do Credo dos Apóstolos: "Creio na ressurreição da carne e na vida eterna."

(a) 1Co 15
(b) Mt 25.31ss

2. Esta Ressurreição será no segundo e glorioso advento(a) de Jesus Cristo para o juízo universal, quando manifestadamente serão chamados todos os mortos(b) à vida, tanto justos quanto injustos(c), em seguida, aqueles que estiverem vivos, para o justo julgamento(d) do seu Pai. Todos eles(e) serão retribuídos pela qualidade e quantidade das suas obras que, em seu corpo realizaram, havendo justo galardão ou punição condigna, se forem boas ou ruins. Porque naquele tempo, ele levantará do pó da terra os seus fiéis e santos que, realmente estavam mortos(f), para a abençoada e eterna vida, e somente a estes será dado um corpo glorioso e incorruptível. Mas aqueles que estiverem vivos(g) serão transformados subitamente, quase num instante, e com os outros serão abençoados com a imortalidade.

(a) Mt 16.27,  25.31ss
(b) Ap 20.12-13
(c) At 24.15
(d) Rm 14.9-12
(e) 2Co 5.10; 2Ts 1.7ss; Mt 25.31ss
(f) 1Ts 4.16; 2Co 5.4ss; Fp 3.21
(g) 1Co 15.51ss

3. Esta forma de ressurreição, e parcial transformação, será imediatamente seguida pela bendita glorificação, que é o complemento de todos os outros atos, na qual o Senhor Jesus(a) (após ter descido do céu com palavra de ordem, com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus para o dito juízo) receberá aqueles que foram despertados pelos anjos do seu poder para estar com ele próprio nos ares, e poderosamente os levará da corrupção universal(b), ou perdição total, do mundo inteiro (então inteiramente em conflagração) para a eterna e gloriosa(c) habitação celestial (que nas Escrituras é chamada de novos céus, nova terra e  mundo futuro) e para, perpetuamente, darmos glória(d) e termos alegria inefável com ele, com Deus e, com seus santos anjos.

(a) 1Ts 4.16-17; Mt 24.30-31, 25.31ss; 1Jo 3.1ss
(b) 2Ts 1.8ss; 2Pe 3.10-11
(c) Hb 2.5; 2Pe 3.13; Ap 21.1
(d) Jo 12.26; Lc 22.29-30; Mt 25.21,23; Ap 3.12,21, 14.13, 21.23, 22.5




Bibliografia:
The Arminian Confession of 1621, tradutor e editor Mark Ellis (Eugene: Pickwick Publications, 2005), 114-115pp.

Confessio, sive Declaratio, Sententiae Pastorum, qui in Foederato Belgio Remonstrantes vocantur, Super praecipuis articulis Religionis Christianae. (Herder-Wiici: Apud Theodorum Danielis, 1622), 62pp.

Imprima este artigo em PDF

0 comentários:

Postar um comentário