quarta-feira, 12 de maio de 2010

A verdade pode ofender

Em nossa era pós-moderna, parece que o "amor" e a "aceitação" tem se tornado palavras-chave. Eu estava lendo um blog de autores emergentes nesta manhã e o autor estava escrevendo sobre como precisamos de doutrina, mas primeiro precisamos de amor. Ele disse que em muitas igrejas evangélicas, a doutrina é muitas vezes mais importante do que amor. Talvez ele esteja correto nesse pressuposto. Mas quanto mais ele escrevia, mais uma vez eu estava discordando de alguém do movimento emergente. Parecia que a sua visão de doutrina era muito pobre e que ele considerava o "amor" e a "aceitação" dos outros como o atributo mais importante da era cristã.

Aqui está o problema: a verdade pode ofender. O próprio Jesus amava a todos e lemos na Bíblia que Jesus era movido pela compaixão (Mateus 9:36). No entanto, ao mesmo tempo, Jesus nunca deu um chamado frívolo aos ser seus discípulos. Jesus disse que todos os que queiram segui-lo deveriam tomar a sua cruz e obedecê-Lo (Mateus 7:21-23; Lucas 9:23-25). Jesus disse que aqueles que são seus discípulos deveriam primeiro calcular o custo de ser discípulo e, em seguida, abandonar tudo por Ele (Lucas 14:25-35). Jesus disse que, se temos vergonha Dele e de suas palavras, então ele teria vergonha de nós (Mateus 10:32-33). Jesus de fato perdeu muitos discípulos ao longo do caminho, POIS os seus ensinamentos eram rígidos (João 6:60, 66).

O ponto é que a verdade deve ser ensinada num caminho de amor e compaixão, mas não podemos evitar o fato de que a verdade pode ofender. Ninguém gosta de ouvir que está errado. Todo mundo assume que está concorde com a vontade de Deus. Eu pessoalmente tenho visto as pessoas ficarem loucas quando eu mostro a elas a partir da Bíblia, a Lei de Deus e sua pecaminosidade diante dEle (1 Timóteo 1:8-11). Uma vez um missionário mórmon amaldiçoou-me por causa das verdades que eu estava mostrando a ele sobre os erros do mormonismo. Teve pessoas me chamaram de "intolerante" e que disseram que eu não tenho amor, porque digo às pessoas que se não se arrependerem, elas certamente morrerão (Lucas 13:05). Mas a verdade ofende e porém tenho que, diante de Deus, dizer a verdade.

Quando Paulo falava perante uma multidão semelhantemente aos nossos dias pós-modernos, ele não se afastava da verdade. Ao contrário de muitos emergentes, buscadores de pastores sensíveis e plantadores de igrejas, o objetivo de Paulo não foi a construção de sua igreja para obter mais dinheiro. Seu objetivo era a meta que o próprio Jesus tinha comissionado em Mateus 28:19-20, a qual era fazer discípulos de Jesus. Paulo declarou corajosamente aos pluralistas religiosos em Atos 17 que deveriam se arrepender (Atos 17:30-31), e em essência, o que Paulo disse em Atos 17:31 foi: "Está tudo errado e Deus tem demonstrado isso pela ressurreição do seu Filho dentre os mortos." A ressurreição de Jesus selou para sempre o acordo, que só Jesus seria o único mediador entre a humanidade e o verdadeiro Deus (1 Timóteo 2:3-4). Não temos sacrifício, mas agora temos Jesus (Hebreus 9:22); não temos outros deuses, mas temos Jesus (1 Timóteo 6:15-16). Possamos, assim como Paulo o apóstolo de Cristo, sem timides de dizer a verdade em amor, mas dizendo a verdade, no entanto.


Fonte: Arminian Today

0 comentários:

Postar um comentário