sábado, 10 de abril de 2010

Pesquisadores lançam luz sobre antigos tabletes assírios


(Foto: J. Jackson)

ScienceDaily (10 de abril de 2010) - Um esconderijo com tabletes cuneiformes foi descoberto por uma equipe de arqueólogos liderada da Universidade de Toronto contendo um tratado assírio em grande parte intacto do início do século 7 a.C.

"O tablete é muito espetacular. Ele registra um tratado - ou pacto - entre Esarhaddon, o rei do Império Assírio e um governante secundário que reconheceu o poder assírio. O tratado foi confirmado em 672 a.C junto à elaboradas cerimônias realizadas na cidade assíria real de Nimrud (antiga Kalhu). No texto, o governador promete reconhecer a autoridade do sucessor de Esarhaddon, seu filho Assurbanipal," disse Timothy Harrison, professor de arqueologia do oriente próximo do “Departamento de Civilizações do Oriente Próximo e Médio” e diretor do “U of T's Tayinat Archaeological Project (TAP).”

"Os tratados foram concebidos para assegurar o acesso de Assurbanipal ao trono e evitar a crise política que transpareceu no início do reinado de seu pai. Esarhaddon chegou ao poder, quando seus irmãos assassinaram seu pai, Senaqueribe".

Os tabletes de 43 por 28 centímetros - conhecidos como os Tratados de Vassalagem de Esarhaddon - contém cerca de 650 linhas que estão em um estado muito frágil. "Vai levar ainda meses de trabalho antes de o documento estar totalmente legível", afirmou Harrison. "Estes tabletes são como um quebra-cabeça muito complexo, envolvendo centenas de peças, algumas em falta. Não é apenas uma questão de puxar o tablete para fora, sentar e ler. Esperamos aprender muito mais como restaurar e analisar o documento."

Os pesquisadores esperam recolher informações sobre as relações imperiais da Assíria com o Ocidente durante um período crítico, o início do século 7 a.C. Ele marcou a ascensão dos frígios e outras potências rivais na Anatólia - a Turquia moderna - ao longo da fronteira noroeste do império assírio, e coincidiu com a monarquia dividida de Israel bíblico, bem como uma era de maior contato entre os povos do Levante do Mediterrâneo Oriental e Egito, assim como os gregos do mundo Egeu.

O esconderijo dos tabletes - que remontam à Idade do Ferro - foram desenterrados em agosto de 2009 durante escavações no sítio de um antigo templo no Tell Tayinat, localizado no sudeste da Turquia. Uma fortuna de parafernália religiosa – o que inclui implementos de ouro, bronze e ferro, recipientes para libações e objetos rituais suntuosamente decorados - também foi descoberto.

O TAP é um projeto internacional, que envolve pesquisadores de uma dezena de países e mais de 20 universidades e institutos de pesquisa. Ele opera em estreita colaboração com o Ministério da Cultura da Turquia e oferece oportunidades de pesquisa e formação tanto para graduados quanto estudantes. O projeto é financiado pelo “Social Sciences and Humanities Research Council of Canada” e o “Institute for Aegean Prehistory” (INSTAP), e possui o apoio da Universidade de Toronto.

Fonte: Science Daily

0 comentários:

Postar um comentário